Procure!

Carregando...

Feminista ou Machista?

Hey!
Depois do discurso da Emma Watson sobre feminismo em um evento da ONU a hashtag #HeForShe começou a ser compartilhada por muitos famosos e anônimos. Eu li o discurso em português e achei muito legal, mas esta é uma opinião pessoal e ninguém precisa concordar. E não é todo mundo que precisa concordar com o discurso da atriz.
No Facebook você pode encontrar várias páginas sobre feminismo e machismo. Eu curto algumas, feministas e machistas. Acontece que muitas delas são bem radicais. Há "feministas" que gostam de dizer que homens são opressores, que devem permitir o aborto na lei (algo de que sou à favor), etc. Mas a principal luta do feminismo, ao meu ver, é a igualdade de gêneros. Já as "machistas" dizem que o machismo é algo que deve continuar a existir, pois é fácil ser feminista na Europa e na América, mas ninguém quer ser feminista em países de culturas radicais e terroristas, que feministas vivem se vitimizando. Já vi até páginas dizendo que a ONU (Organização das Nações Unidas) quer destruir as identidades masculina e femininas, apostando no feminismo, aborto e "gayzismo" como isca para atingir os seus objetivos.
Talvez o grande problema seja: ou você é machista ou é feminista. É tudo muito radical. E isso também são rótulos: feminista ou machista; pobre ou rico; negra ou branca; vadia ou santa, etc.
É verdade sim que, geralmente, os homens são fisicamente mais fortes que as mulheres. Mas isso não quer dizer que ele têm que usar a força contra as mulheres. A Bíblia possui, sim, muitas passagens machistas, começando com a criação da mulher. Eu nunca li toda a Bíblia, por isso não posso dizer muitas coisas, mas sei que muitas Igrejas são contra muitas coisas das quais as feministas querem.

A marcha das vadias, algo do qual sou contra, é algo que divide opiniões. Sou contra pelos seguintes motivos: não acho que andar por aí com roupas curtas e decotadas seja protesto, mesmo que você carregue cartazes dizendo que não merece ser estuprada. Você quer ser respeitada? Se dê ao respeito. Andar com roupas curtas e decotadas por aí não te faz uma vadia/quenga/puta e etc. mas eu duvido que alguém te olhe com respeito, que ache isso bonito. E isso não é ser machista, é ter respeito pelos outros que vivem na mesma sociedade que você. Seu corpo, suas regras? Beleza, concordo totalmente. Mas nudismos não é aceitável em uma sociedade que usa panos e tecidos para cobrir seus corpos, pois topless ainda não é algo muito aceitável para ser feito em público. Não concorda?

A sociedade criou um tipo de "livro com regras" do que é certo para homens e mulheres e o que é errado. E todos nós aprendemos e vivemos às suas regras. "Homem não pode chorar" "mulher não pode ser durona" e etc. Garanto que você conhece várias destas frases/"regras". Todos, e eu disse TODOS, são vítimas e opressores.
Sua sexualidade, as roupas que você usa, o modo como faz para sobreviver não são da minha conta. Mas ter o mínimo de "simancol", respeitar e seguir o "politicamente correto" não é tão opressor assim!
Assim como eu não gosto de ver dois homens ou duas mulheres se agarrando na rua, eu também não gosto de ver um homem e uma mulher fazendo o mesmo.
Liberdade deve ser usada com cuidado! Se não você a perde.

Talvez você não concorde, mas vivemos em uma sociedade machista, pois as coisas estão funcionando deste jeito desde a Idade da Pedra! É claro que há chances de o feminismo ser algo que funcione. Mas temos que lembrar que há muitos privilégios para as mulheres hoje em dia. E quem luta pela igualdade luta pela revogação dos privilégios que ambos os sexos possuem na sociedade; luta pelo fim das cotas para negros/pardos/etc.; luta pela IGUALDADE.

Feminista ou machista é muito radical. Somos pessoas que lutam para uma sociedade melhor, que rotule menos, que seja mais justa e igualitária para todos os gêneros, raças, sexualidades, etc.

Top 03 - Bad Boys Literários

Hey!
Se tem algo que eu adoro ler são romances de bad boys e mocinhas. Adoro esses personagens que são intensos, perigosos e lindos!
Foi difícil, mas eu consegui fazer um Top 03 com os meus bad boys favoritos.

03 - Cage York
O Bad Boy de While It Lasts e Sometimes It Lasts (da série Sea Breeze, da autora Abbi Glines) é do tipo que bebê e dirige. Tem uma melhor amiga, com quem diz que vai casar (no segundo livro da série, e eu até torci por eles, até conhecer a Eva) e mantém a bolsa de estudos jogando no time da escola. Confesso que acho que aquele modelo da capa do livro não faz jus ao personagem.
A estória do Cage é a seguinte: foi pego dirigindo alcoolizado e salvo pelo treinador. O mesmo o enviou para a fazenda do irmão, para ensinar responsabilidade a Cage. Além de ser um bom castigo. O cara ficou dormindo em um quartinho no celeiro vermelho da fazenda, recebendo água e comida da "fada invisível" e sofrendo com o calor. Aí, depois de conquistar a mocinha você acha que a história acaba? É claro que não! Eles ainda sofreram no segundo livro (Eva e Cage foram o único casal a ter dois livros para a sua história na série), brigaram, e fizeram as pazes com um belo presente.
Cage York conquistou meu coração com sua forma de amar, seu piercing no mamilo, seu jeito protetor e possessivo, por assim dizer.



02 - Patch Cipriano
Confesso que me apaixonei logo de cara pelo anjo caído mais sexy de todos os tempos. E acho que a minha insana vontade de ler um romance com anjos ajudou. Patch, de Hush, Hush da autora Becca Fitzpatrick, gosta de provocar a mocinha (Nora), mas se revela um cara que ama intensamente e muito protetor. Além de perigoso. Ele é o tipo de cara que os seus pais nunca aprovariam. Ele provoca Nora, vê até onde ela está disposta a se arriscar. Faz com que ela quebre regras e o coração. É claro que o boné de baseball azul e o Jeep Commander preto também fazem a sua parte. Mas o que também não posso esquecer são as "saídas" de Patch, como quando ele diz "Nua, sei como é." ou "Com medo, Anjo?". Saber o maior sonho dele, que é beijar a Nora, ou... Este post não vai acabar nunca se eu continuar a falar deste incrivelmente gostoso personagem literário.



01 - Travis Maddox
Eu até que tentei não colocá-lo nesta lista, mas é impossível! o Travis, de Belo Desastre, Desastre Iminente e Belo Casamento (da autora Jamie McGuire) é intenso. Ele primeiro age e depois pensa. Ele é protetor e doce com aqueles que ama. Mas nada o impede de fazer algumas burradas. Possessivo e bem humorado, o meu bad boy número 1 tem como amor da sua vida uma Harley e já levou inúmeras meninas para o seu sofá. Travis também não seria o tipo de cara que sua mãe aprovaria: sobrevive com o dinheiro de lutas ilegais em porões, anda de moto sem capacete, tem inúmeras tatuagens e já "comeu" uma porção de menina. Assim como Patch ele gosta de provocar a mocinha. Mas ele se apaixonou pela melhor amiga. Ele salva a mocinha dos perigos que ela corre, porém, por ser muito impulsivo, acaba perdendo-a por um longo e doloroso tempo. Apesar de ser cabeça quente, o Travis conseguiu passar por cima de suas próprias vontades pela mocinha. Muitas vezes achei que ele era estúpido e idiota, mas então ele se mostrava o cara perfeito nas páginas seguintes. 


Outros livros com bad boys: Química Perfeita, séries Rosemary Beach e Sea Breeze, trilogia Crash e a série Bad Boys.

Você pode acompanhar o que eu ando lendo, o que já li e o que vou ler pelo meu perfil no Skoob. Além de ver meus comentários sobre os livros e resenhas.

The best "Bud" in the world!

Hey!
Toda foto possui uma história: o motivo, o que aconteceu no momento, etc. Com essas não é diferente. Mas, ao contrário do que alguns pensam, não tem nada ligado a doenças e tristeza. Algumas pessoas costumam retratar seus cachorros e logo no final uma notícia triste: "ele está doente" ou "ele morreu". Mas o Bud não está nem doente nem morto. Ele está feliz e de bem com a vida, e, provavelmente, dormindo. Mas, este é o Bud! E a história por trás destas fotos é bem simples: eu estava com a câmera na mão, o Bud estava ali na minha frente e, então, a ideia me veio. O quanto um cachorro pode amar é lindo e eu gostaria de retratar isso. Mas então, você pode ver um cachorro muito charmoso, dorminhoco, protetor e amoroso.
Atualmente, com quatro anos, essa é a "coisa" mais fofa que eu conheço!



















"Making Off"


Lovers' Shirt

Hey!
Eu não muito coisa sobre estas fotos, além dos nomes das autoras. O projeto foi criado pela fotógrafa Carla Richmond e pela escritora Hanne Steen. Eu conheci o ensaio pelo site Hypeness.
Lovers' Shirt coloca mulheres que acabaram de sair de relacionamentos em frente à câmera vestindo que pertenciam à/ao ex. Assim, elas simbolizavam uma relação que não existe mais. (Isso segundo o site).As fotos capturam diversas emoções, como rejeição, dor, perda, saudade, raiva... Todas elas, meio que, provocadas pela camiseta e por uma conversa com as criadoras do projeto. Todas essas conversas foram gravadas e resultaram em um poema livre (a tradução a seguir foi retirada do site Hypeness):

É como uma bandeira cujo voo eu não posso evitar. Ela me conforta no meio tempo, entre os espaços. É só um pano que eu transformei na promessa de que ele jamais irá embora. Uma espécie de fio comum entre nós. Parte de mim quer rasgá-la. Tantos "e se" e "poderia ter sido" e "deveria ter sido" e "nunca foram". É apenas uma camisa. Ela está lá para mim quando não há mais ninguém. Isso faz com que eu me sinta infantil e cuidada. Isso faz com que eu pareça mais forte do que eu sou. Contanto que eu segure a camisa, ela nunca estará completamente fora da minha vida. Eu a usaria todos os dias se pudesse. Por mais que você construa uma casa em volta ou coloque um anel, tudo ainda é temporário e pode se dissolver, então tudo o que você tem a fazer é amar. Por mais doloroso que seja, nós precisamos nos agarrar em algo. É a prova de que fizemos. De que nós passamos por isso. De que nós aprendemos algo. De que nossos corações foram quebrados. De que nós fomos amados. De que nós não fomos amados o suficiente. Por alguém para quem eu não serei algo a ser esquecido tão facilmente.

Projeto Lovers' ShirtProjeto Lovers' ShirtProjeto Lovers' ShirtProjeto Lovers' Shirt
No site da fotógrafa vocês encontram as 21 fotos.
A autora, Hanne Steen, escreveu em seu site que elas testemunharam a complexidade da experiência humana do amor romântico através do símbolo mundano e universal da camisa de um amante, e a expressão única a pessoa que a usa. Ela também conta que as moças ficaram sentadas por uns dez minutos com seus sentimentos e suas imagens refletidas para elas mesmas. E então a conversa começava, mantendo um espaço seguro para a vulnerabilidade que é desencadeada por este pedaço e tecido. O texto foi montado a partir dos depoimentos dados, para expressar as relações variadas e ao mesmo tempo universais que temos com as camisetas de nossos amantes.Projeto Lovers' ShirtProjeto Lovers' ShirtProjeto Lovers' ShirtProjeto Lovers' Shirt

Com o projeto elas esperam elevar suavemente a pergunta:
O que é universal quando se trata de amor e perda? Quando você tira fora o lugar, história e contexto social, o que resta? O que se conecta? Quais são os pontos em comum?
As autoras conseguiram, com os depoimentos, traçar uma história universal da capacidade humana de amar, perder, e seguir em frente.

Melissas?

Hey!
Pra mim Melissa é tipo Havaianas: não gosto e dói o pé. 
No caso da Melissa ainda faz o pé ficar suado e grudento. Sério, dese pequena eu tenho pavor a estes sapatos. Sem contar que depois de um tempo começa a sair a cor e até a se quebrar. 
Eu sou daquelas que melissa é sapatilha de plástico que faz o pé suar. 
Lembram dos tênis da Xuxa, Xuxinha e SeiLáMaisOQuê? Eu nunca tive. Pelo simples fato de que causam calos, fazem o pé suar são feios. 
Melissa pra mim é sandália/sapatilha de plástico, e não estou sempre me referindo à marca Melissa, é tipo Bombril, ninguém fala esponja de aço.
Não que os modelos sejam feios, eles só não são muito agradáveis. Há modelos que são até fofinhos, mas só de olhar eu já fico pensando no desconforto de usá-los. E acho que é aí que está o sucesso das melissas: os modelos que chamam a atenção. E aquele monte de blogueiras postando as novidades, mas já reparou que elas raramente postam looks com melissa nos pés? É como eu disse no início do post: é que nem Havaianas. Já viu blogueira postando look com Havaianas, sem ser parceira da marca ou receber algo em troca?
E já viram o preço delas? Tem umas que custam mais de R$300,00. É tipo artigo de luxo pra mim. E quem, em sã consciência, dá R$300,00 em um sapato de plástico que não dura? Sinceramente, não entendo.

Eu até poderia colocar fotos de looks com as tais das melissas, mas achei muito poucas fotos, e que não são realmente boas, e a maioria as fotos que achei são de melissas que podem combinar com looks, mas não looks com melissas.






Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!