Procure!

Carregando...

Livro - Todo Dia

Hey!
Todo Dia é oficialmente um dos meus livros favoritos! Um dos melhores que eu já li! Estou ansiosa para ler outros livros do autor. Se vocês forem ler os agradecimento saberão que David Levithan conversou com Jonh Green (Green e Levithan escreveram o livro Will Grayson, Will Grayson) e Suzanne Collins, o que pode não significar nada, mas é que eles também são dois dos meus autores favoritos.

Todo Dia é narrado por A. A não é nem menino nem menina. Nem branco nem preto. Nem baixo nem alto. Nem gordo nem magro. A não tem um corpo só seu. Todo dia ele está em um corpo diferente. Todo dia ele tem uma vida diferente.
Um dia A acorda no corpo de Justin. Poderia ser só mais um dia, mas foi o dia em que A conheceu Rhiannon, a namorada de Justin. Ela poderia ser só mais uma garota, mas A se apaixonou por ela.

Todo dias nos traz muitas lições. Eu marquei vários trechos (li o e-book e por isso pude marcar trechos no livro!). Você lê aquela estória e também aprende várias lições, descobre coisas tão lindas e acaba mudando o seu jeito de ver certas coisas. Pelo menos isso aconteceu comigo. A tem só dezesseis anos, mas ele já viveu tanto...

"As pessoas não dão valor à continuidade do amor, assim como não dão valor à continuidade do corpo. Não percebem que a melhor coisa sobre o amor é sua presença constante. Assim que você estabelece isso, sua vida ganha uma base extra. Mas se você não pode ter essa presença constante, só tem uma base para sustentá-lo, sempre."



Alguns dias depois de conhecer Rhiannon, A acorda no corpo de Nathan. O problema que no outro dia Nathan se lembra de ter sido "possuído". Nathan procura o reverendo Poole (que vai te surpreender no final do livro) que o ajuda na sua busca por respostas. Nathan diz que foi possuído pelo Diabo.
"Penso em como as pessoas usam o Diabo para dar nome às coisas que temem.  O Diabo não obriga ninguém a fazer coisas. As pessoas é que fazem as coisas e culpam o diabo por isso."

A decide contar tudo sobre a sua vida à Rhiannon. E ele passam a se encontrar mais regularmente. Ela começa a reconhecê-lo, mesmo não tendo ideia de sua aparência. Mas não é fácil para nenhum dos dois. "O importante é que, por um curto período, valeu a pena."

Todo Dia também fala sobre perguntas, questões que você faz a si mesmo. Mas que às vezes não encontra as respostas.
"Perguntas sem resposta podem te destruir. Siga em frente."


Mas tudo tem um fim e isso não é diferente com o relacionamento de A e Rhiannon. Porém, diferente dela, ele se preocupou em não magoá-la tanto. Ele até deixou um "presentinho" para ela.
Lindo! Chorei, hahaha!!!
Recomendo para todos os públicos acima de 12 anos.

Top 03 - Your Majesty

Hey!
Quem não gosta das rainhas más e irônicas dos seriados? Mas também tem aquelas boazinhas...
Bem, atualmente eu ando assistindo poucas séries de TV e por isso escolhi as minhas três favoritas, na ordem!
3º - Mary Queen of Scots - Reign
A Mary é uma rainha boazinha, mas não se engane e nem se atreva a ameaçar o país dela. Pois, segundo a própria, ela enfrenta até o Diabo se ele estiver ameaçando a Escócia!
Os looks da personagem são lindos! Mas é claro que não condizem com a época em que os fatos aconteceram. Alguns fatos, quero dizer. Já que Reign não é tão realista (vou contar um segredinho pra vocês: na vida real o Bash nem existiu!).
2º - Catherine - Reign
Catherine atualmente está governando a França sozinha, pois o rei anda meio louco... Mas a mulher não tem medo! Consegue me fazer ir nos momentos mais inesperados. Faz tudo para se manter no poder, pela segurança de seus filhos e do seu país!
Se um dia você se meter em uma baita encrenca, como deixar "sem querer" a sua amante cair pela janela e ela acabar morta (né, Henry?) ela é a mulher certa para pedir ajuda!
Catherine organiza até o próprio funeral! E cuida de tudo nos mínimos detalhes.
1º - Evil Queen - Once Upon A Time
É claro que a diva Regina não poderia faltar. Eu adoro ela (e principalmente a atuação da Lana Parrilla)! E defendo ela até o fim, também! Pois tudo o que ela sempre quis foi se vingar da Branca de Neve por ser uma fofoqueira e contar a Cora sobre o Daniel. Branca de Neve fez com que Regina perdesse o amor da vida dela (Daniel foi morto na frente da Regina), o pai por causa da maldição e a mãe (o que a Mary Margaret fez foi muita crueldade, e eu garanto que se fosse a Regina fazendo com que a Branca matasse a própria mãe todos iriam xingar ela, mas como é a Branca todos perdoam.).
A nossa linda Evil Queen já sofreu bastante, espero que até o final desta temporada (3ª) ela acabe ficando com o Robin Hood! E que o Henry se lembre de que ela também é mãe dele!
Ah, e lembre-se: "preto é a minha cor"

Livro - Entre o Agora e o Nunca

Hey!
O livro que li esta semana foi Entre o Agora e o Nunca da autora J.A. Redmerkski, publicado no Brasil pela Suma de Letras e traduzido por Michele Vartuli.
Entre o Agora e o Nunca é contado por Camryn e Andrew.
Eu amei este livro! Ri e chorei muito.
Camryn sempre quis viajar pelo mundo. Um belo dia ela resolve botar um monte de coisas em uma mala e comprar uma passagem de ônibus para Idaho. No Kansas um belo rapaz de olhos verdes entra no ônibus atrasado. Ele, que adora ouvir música alta, acaba se sentando nas poltronas atrás de Camryn. A discussão entre os dois começa por causa da música que Andrew está ouvindo. E música é um ótimo assunto! Durante a viagem os dois vão ficando mais "íntimos". Se tornam amigos de viajem. Quando Andrew chega ao seu destino final eles acabam tendo que se separarem. Bem, teriam. Pois por causa de um cara (estuprador) eles acabam juntos novamente.
Depois de visitarem o pai de Andrew no hospital, os dois partem, agora de carro, por mais uma viagem. 

"Coincidência é só o nome que os conformistas dão ao destino"

Mas é claro que toda viagem precisa de regras! 
Andrew:
1º - "meu carro, meu som"
2º - Camryn tem que fazer tudo o que ele mandar.

Camryn:
1º - Eu nenhuma circunstância eles irão transar e nem se apaixonar.
2º - Nada de Bad Company.

Mas eles conseguem quebrar todas as regras impostas por ela.

O livro conta uma estória (aprendi a usar este termo!) romântica e que vai te fazer chorar. Afinal, qual é a graça de achar o amor da sua vida para depois quase perdê-lo?
Comecei a chorar sem parar desde que Andrew foi para o hospital até a parte em que ela está no cemitério de frente para uma lápide onde está escrito PARRISH. E é claro que chorei mais um pouco com o último diálogo do livro, hahaha!!!

Acompanhe o que eu ando lendo, já li e quero ler pelo Skoob (que eu recentemente descobri que é BOOKS escrito ao contrário, hahaha!!!)

Trabalho Mais Difícil do Mundo

Hey!
Já pensaram em receber uma proposta de trabalho onde você tem que trabalhar 24 horas por dia, durante sete dias por semana, sem férias, intervalo, às vezes nem podendo dormir, e ainda tendo que ter muita energia?!
Bem, milhares de pessoas aceitam esta proposta todos os dias e garanto que nenhuma delas se arrepende!
Você aceitaria o trabalho mais difícil do mundo?

Livro - Belo Desastre

Hey!
Ate que enfim os meus lindos livros chegaram.
Comprei pelo site do Extra e os livros chegaram no prazo de entrega, item na hora de avaliação que vale muito!
É uma pena que a impressão do livro sofreu muitos... erros. Faltam travessões em muitas frases (principalmente nos diálogos). Mas mesmo assim dá pra entender. Não achei nenhum erro de português, o que também é muito bom!
Belo Desastre foi publicado no Brasil pela Verus Editora.

E vamos a história de Jamie McGuire...
Abby Abernathy é uma boa garota, vinda do Kansas, fugindo do seu passado, junto com a melhor amiga America.
O livro é contado por Abby.
Ela é caloura na faculdade e um belo dia sua melhor amiga a arrasta para uma das lutas que acontecem nos porões da faculdade. Meri, Shep (namorado de Meri e primo de Travis) e Abby vão assistir a uma destas lutas. O vencedor é Travis "Cachorro Louco" Madox.
Abby acaba com sangue no rosto e na roupa.
Travis tenta paquerá-la, começa a segui-la até que ela decide passar no apartamento dele.

Abby vai até o apartamento dele e Travis a leva de moto para comer alguma coisa e beber cerveja.

Travis é aquele típico bad boy pegador de livros: ganha dinheiro com lutas, possui lindos músculos definidos, tatuagens e tem uma moto.

E então ela é obrigada a passar um tempinho na casa do Travis e do Shep por falta de água quente. E depois por causa de uma aposta.
"Se você ganhar fico sem sexo durante um mês... Mas, se eu ganhar, você tem que passar um mês comigo."
Ela perde. Fica morando no apartamento dele durante um mês. E a coisa toda acaba mal.
Abby também se "relaciona" com o Parker, mas não dá muito certo. Afinal, ele é um babaca (na minha opinião).

Na festa do Dia dos Namorados, Travis fez um brinde aos babacas, às garotas que partem o coração da gente e ao horror de perder sua melhor amiga porque você foi idiota o bastante para se apaixonar por ela.
A festa acaba de um jeito... que eu ri muito.

"De repente, eu estava no ar. Travis me jogou por cima do ombro ao mesmo tempo em que empurrava um dos caras [...]
- Me solta! - Gritei, socando forte as costas dele.
- Não vou deixar você dar vexame por minha causa. [...]
A festa inteira me obeservava chutar e gritar enquanto Travis cruzava a sala me carregando.
- Você não acha que isso é dar vexame? Travis!"

E para provar que a Meri é uma ótima melhor amiga, olhem o que acontece quando ela vê a cena acima:

"- Coloca a Abby no chão! - (America)
- America, não fique aí parada! Vem me ajudar! (Abby)
Ela não aguentou e caiu na risada.
- Vocês dois estão ridículos. - (America)
- Valeu amiga! (Abby)"

Com muitos altos e baixos este casal enfim consegue ter um final interessante.

Me identifiquei muito com o comentário de S.C. Stephens (Thoughtless): "Uau... Travis, Travis, Travis. Eu gostei dele, depois o odiei, depois gostei de novo... Eu me preocupei com a sanidade dele... e então o amei. E, estranhamente, senti o mesmo em relação a Abby! Muitas vezes eu quis gritar com ela, depois com ele, depois com ela de novo! Personagens excelentes e complexos. Amei o livro"
E também não resisti a pensar que foi algo do Universo querendo chamar a minha atenção, pois quando eu estava no final do livro, um beija-flor entrou na sala da minha casa. E o pobrezinho só conseguiu sair com a ajuda do meu pai. Mas, era um beija-flor!

Travis é um perfeito brigão, impulsivo. E Abby não é exatamente uma garota certinha. America e Shep formam um casal muito legal, que eu adorei. A linguagem do livro (diferente de Paixão Sem Limites) não é vulgar. Também me lembrei um pouco do maldito filme Paixão Sem Limites (3MSC) que me deixou louca por uma semana por causa do seu final durante um dos términos do casal. Mas, diferente do filme, eu não ficaria decepcionada se eles terminassem separados. Pois Travis estava conformado com isso, tentando seguir em frente. Mas acho que toda vez que ele dava um passo pra frente, voltava outros dois.

Abby conheceu a família Maddox (que eu também adorei), fez a limpa no pôquer, cozinhou no Dia de Ação de Graças e ainda fez uma de atriz!
Ri muito com a America e com Travis e Abby...
Antes de ler o livro eu estava apaixonada pelo Travis, mas agora acho que não estou mais. Depois de ler o livro, acho que fiquei só amando ele. Mas não apaixonada.

Sinto que esta resenha ficou meio confusa, mas é porque o tempo de livro é de um ano (a história se passa ao longo de um ano), e tem muita coisa pra contar. E também, quero que vocês tirem suas dúvidas lendo o livro!
Valeu a pena esperar uma semana. Agora, estou morrendo de vontade começar a ler Desastre Iminente (que ainda está embalado, no meu criado mudo) logo!

Acompanhe o que eu estou lendo, o que eu já li e o que quero ler pelo Skoob (caso queira me presentear com qualquer um dos livros que não estão marcados como tenho e que eu quero ler ou da série Hush Hush, não tem problemas...).






Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!